Angola OffRoad

Forum de Divulgação, Informação e Convivio
 
InícioPortalFAQRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Diversos Assuntos Sobre VELA

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
papabeer
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 5606
Idade : 53
Localisation : Luanda - Angola
Data de inscrição : 06/06/2007

MensagemAssunto: Diversos Assuntos Sobre VELA   Dom Jun 07, 2009 5:50 am

VOLTA AO MUNDO À VELA - EM SOLITÁRIO

Diário da 11ª Etapa

Brasil – Açores

Dia 5 de Junho 2009


RETORNO À ILHA


Meus caros amigos, "oficiais e passageiros" que comigo "viajaram" e viveram esta extraordinária e inesquecível aventura que foi sem dúvida a II Volta ao Mundo do veleiro Hemingway. Passamos por continentes, países e ilhas, conhecemos outras formas de vida, outras religiões, outros manjares! Visitamos Igrejas, Catedrais, Templos, Sinagogas ou simples "lugares de culto". Ficamos extasiados com originais e cópias perfeitas de grande parte da obra de Paul Gauguin, estivemos mesmo ao lado no "jojo" de Jaques Brel e talvez por uma última vez, com todo o simbolismo e veneração colocamos placa metálica na sua campa assinalando nossa passagem e admiração por tão grande, querido e amado compositor, interprete, actor e também marinheiro que um dia conhecemos no "Peter Cafe Sport". Na Patagónia observamos a Natureza tal como ela é à milhões de anos! Fizemos amigos pelo Mundo e encontramos alguns que não haviam esquecido...Na Polinésia e por quase todo o Grande Pacífico vimos as mulheres e crianças com flores naturais ornamentando seus cabelos...Em Iva Hoa estivemos na mesma escola onde haviamos estado em 2001 e fomos recebidos em festa! Nas Fiji os amigos Indianos receberam-nos de braços abertos, voltamos à mesma casa, ao templo de Labassa , a plantação de cana de açucar da família da Sarita onde de novo nos ofereceram "cava", comemos da sua comida condimentada e picante...Seguimos sempre Pacífico adentro, nas ilhas Vanuatu visitamos escola indígena feita em banbu mas onde se aprende a ler e escrever. Navegamos pelo mar de coral, passamos o Cabo York e mais uma vez aportamos no grande continente australiano, em Darwin. Lá estavam vagueando pelas ruas os Aborigenas inconfundíveis com os muitos turistas que quase sempre de passagem para parques Naturais (como o de KaKadu que visitamos) fazem desta cidade um sítio importante na área turística. Desta vez estavam criadas condições, visitamos Timor independente, ficamos assim registados como o primeiro Português que navegando em solitário aportou naquele País. Fomos recebidos por Sua Ex. o Senhor Presidente da República Dr. José Ramos Horta. Partimos de Timor deixando por lá muitos e bons amigos. Seguimos para Indonésia, vimos outra cultura outra religião que embora em Bali maioritariamente Indianos, tem templos e costumes muito diferentes dos das Fiji. Na Ilha de Rodrigues fomos recebidos pelo Senhor Presidente da Assembleia Regional (em 2001 estivemos na assembleia constituinte do Movimento Rodrigues). Ainda nesta ilha de gratas recordações, de boa gente voltamos a ver o Manuel, o Sulim e o deputado nosso amigo Von Mali. Na Maurícia em Port Louis participamos como convidados no Dia Internacional de Luta contra a pobreza e exclusão social, fomos recebidos pelo anterior Presidente da República Senhor Cassan Hasse, e recordam-se daquele domingo, na Praça central de Port Louis onde escutamos a filarmónica da Polícia...até parecia uma das nossas! Na África do Sul fomos recebidos da melhor forma possível por emigrantes Portugueses, estivemos em seus Clubes e Academias do Bacalhau. Passado que foi novamente o Cabo da Boa Esperança voltamos a ilha de Santa Helena, fomos às casas onde Napoleão esteve, caminhamos por ruas feitas na rocha e voltamos a descer a tal escada dos 700 degraus! Em Fernando de Noronha só estivemos 1 dia porquanto agora aquela ilha com a ajuda de uma "manzinha verde" de futuro (e já está sendo) será a ilha só dos ricos! Voltamos ao Brasil, a São Luís do Estado do Maranhão. Meus caros amigos a viagem do Hemingway teria ficado imcompleta se não tivessemos visitado São Luís. Por fim voltamos ao mar, tendo como destino o Porto de Lajes na Ilha do Pico onde deveriamos ter chegado passado dia 30 de Maio (sábado do Espírito Santo). Todavia mais uma vez tivemos que enfrentar as forças da Natureza, o mastro do Hemingway não resistiu e lá ficou nas profundezas do Atlântico agora parece que tendo por companhia um avião A 330 da Air France.


Caros amigos, "passageiros" deste pequeno e frágil "navio". Estando prestes a terminar esta segunda viagem à volta do Mundo, o que irá acontecer Sábado dia 6, quero aqui expressar meu mais sincero agradecimento, de todo o coração, aos meus amigos do Grupo de Apoio, Marco Dutra (responsável pela página da net) José Mourinho (telecomunicações), Dr Luís Prieto que sábado após sábado pelas ondas da rádio com o programa "Por Todo o Mundo - Na Rota dos Aventureiros" levou um pouco do Mundo aos Açorianos, a minha esposa Biatriz que vinda do Sul da Brasil, da terra do gado e dos cavalos tão bem soube desempenhar suas novas lides agora ligada ao mar, aos meus filhos Marco e Pedro, ao Luís Machado que fez chegar a diversos jornais e revistas, notícias acerca do desenrolar da viagem. Aos escuteiros marítimos ou não que desde a primeira hora estiveram comigo e aos que conheci pelo Mundo, a Comissão de Honra constituida por pessoas amigas que acreditaram que eu iria conseguir mais esta façanha para os Açores e Portugal. Desejo também mencionar nomes de pessoas amigas que me ajudaram em algum tempo da viagem e começo pelos meus companheiros de pesca José Fernando e Nelso que ficaram trabalhando com a "guernica", Tomás Vieira, Tomás Gualdino Delgado, Frei Humberto, José Pereira e esposa Elga, Rui Pereira, Clovis, Ricardo e esposa Isa, Arante José Monteiro, professora Rosemy Nascimento, professor Alcides Dutra, professor Joi Alves, Paulo Caminha, Presidente do Município de São José da Terra Firme, Fernando Melquiates Elias e vereador da Cultura Adriano de Brito, Edivaldo Oliveira, enfermeira Fernanda Oliveira e sua Mãe Maria Elizabete Oliveira, Vitor Castro e esposa Letícia Cardoso, Família Cardoso, José Sá Marques e família, Maria Coelho Amado de Martin, Raul Martin, Comendador José Maria Amado e família, Daniel Rosa de los Santos, professor Ariel Guadaloup, Wasington Pereira e esposa Modesta, Luís Correia, Secretario da Embaixada de Portugal em Montevideu Jorge Cruz, conselheiro para as Comunidades Portuguesas Luís Panasco e esposa Maria Josefa Alvares, Alfredo Simões e família, professor Daniel e esposa, Natália Oldecop, Cita Torres, Elias de Sousa, João Louro, Manuel Caetano, Pedro Cotrim, Vitor Nunes, Pedro Valador e esposa, Roxanna Selby, Amaro Tavares e esposa Ana, Kai-Walter Evers e esposa, Didier Camalboudou, Danielo Ramsamy, Doutora Maria João Coutinho, Doutora Maria de Fátima Mendes, Consul Geral de Portugal Domingos de Saldanha e Alvim, Embaixador de Portugal em Pretória João Ramos Pinto, Capitão de Fragata Carlos Scmidt e esposa, Contraalmirante Guilhermo José Estevez. Um agradecimento muito especial ao Governo Regional dos Açores, à Câmara Municipal da Horta, Associação de Municípios da lha do Pico, Mútua dos Pescadores, SEATEC, Dutras Lda, Peter Café Sport, Rádios da ilha do Pico, Rádio Graciosa, Rádio Flores, Rádio Antena 9, Rádio Lumena, Rádio Club Asas do Atlântico, RDP Açores, Jornais Açoriano Oriental, Tribuna das Ilhas. Foram muitos os jornais, Estações de rádio e Televisão para os quais dei entrevistas. Fiz conferências em Universidades, colégios, escolas e Clubes.

As nossas lindas ilhas ficaram mais perto do Mundo e o Mundo ficou mais perto dos Açorianos!

A todos, sinceros desejos que consigam também realizar alguns dos vossos "sonhos". Ao terminar esta viagem, aceitem um grande abraço do vosso capitão que se despede Genuíno Madruga

Retirado do site de Genuíno Madruga

http://www.genuinomadruga.com/diario_11etapa.html

----------------------------------------------------------------------

Noticia do Jornal Record

Genuíno Madruga chegou esta tarde de sábado ao porto da Vila das Lajes do Pico culminando a sua segunda volta ao mundo em solitário a bordo do iate "Hemingway". O navegador açoriano, natural da Ilha do Pico, atracou por volta das 14 horas locais (15 horas em Lisboa).

A última hora de viagem de Genuíno foi acompanhada no mar por cerca de 200 embarcações. Em terra, centenas de pessoas esperaram o navegador, entre eles amigos, familiares e membros de órgãos políticos da Ilha e do Arquipélago, protagonizando, no momento de chegada, uma grande ovação.

Foram preparadas, ainda, emissões em direto na rádio e televisão, que acompanharam as últimas horas do navegador antes de atracar nas Lajes do Pico.

"Cheguei. Para mim ver todos estes amigos é muito importante e nunca vou esquecer. Para todos um grande abraço", disse à chegada.

Genuíno Madruga partiu do porto da Vila das Lajes do Pico para a 2.ª viagem à volta do mundo há cerca de dois anos e hoje regressou, como disse, "às ilhas mais bonitas do mundo".

"Para mim tem um sabor muito especial voltar à terra, voltar a ver as pedras negras desta terra onde vi pela primeira vez o mar e onde dei os meus primeiros passos", declarou o navegador.





_________________
faroeste
Voltar ao Topo Ir em baixo
https://www.facebook.com/paulo.arroteia
papabeer
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 5606
Idade : 53
Localisation : Luanda - Angola
Data de inscrição : 06/06/2007

MensagemAssunto: Re: Diversos Assuntos Sobre VELA   Dom Set 13, 2009 11:36 am

Francisco Lobato: "Pronto para largar"

Faltam 24 horas para Francisco Lobato, o velejador solitário português, largar de La Rochelle na mítica Regata Transat 6,50 que o leva totalmente só a S. Salvador da Baía, com escala na Madeira.
O único português a apurar-se para esta difícil travessia garante que tem tudo a postos para largar e admite que pelas condições meteorológicas que se adivinham vai passar por momentos bastante intensos.

Há 20 dias em La Rochelle a tratar do barco ROFF TMN, Francisco Lobato explica em que ponto estão os últimos preparativos: “Ontem estive a testar o piloto de emergência que estava com problemas mas já está resolvido. Entretanto, Sábado [hoje] tenho de compor alguma comida fresca como fruta, chouriço, pão. O resto está preparado” garante o velejador, comentando o ambiente que se vive em La Rochelle: “É muito especial estarmos no meio de 85 velejadores que estão prestes a largar para uma verdadeira aventura. Eu estou cá há 20 dias, outros estão há um mês e meio. Todos a tratar dos barcos e dos preparativos e parece que o tempo não chega”.

Quanto a um possível nervoso miudinho na véspera da largada, Francisco Lobato é sincero: “o meu nervoso miudinho tem a ver com as previsões meteorológicas que são cada vez mais fiáveis. Até à Madeira são cinco, seis dias de regata sempre à popa com ventos muito fortes. Isto implica dormir pouco ou quase nada. Fico um pouco nervoso por saber o que me espera de tão intenso que vai ser.”

Antes de largar, o velejador fará um último briefing com o meteorologista com quem trabalha para delinear a estratégia e deixa uma mensagem aos seus admiradores: “Acompanhem-me através do site, vão vendo a minha evolução e inscrevam-se comigo numa regata virtual no site da Transat”. Uma espécie de companhia virtual para o velejador que vai passar quase um mês no mar totalmente sozinho.
Neste momento, Lobato é um dos favoritos ao pódio, mas afirma com grande cautela: “O nível dos velejadores é muito alto. Há cerca de 10 concorrentes que vão poder estar no pódio, vai ser uma regata muito difícil”.

Com apenas 24 anos, Francisco Lobato está, actualmente, a finalizar o Mestrado em Engenharia e Arquitectura Naval no Instituto Superior Técnico, tendo pelo meio conseguido fazer história na vela internacional.
Lobato garantiu a primeira posição do Ranking Mundial na Classe Mini Barcos de Série, em 2006, 2007, 2008. Foi ainda o primeiro português a conseguir a qualificação para a Transat 6,50 em que ocupou a oitava posição entre 84 concorrentes.


Em 2007/2008 ganhou a grande regata Les Sables – Açores, um feito histórico para Portugal, tornando-se o primeiro velejador no Mundo a ganhar uma prova à frente dos protótipos com um barco de série.
O veleiro ROFF TMN, utilizado por Francisco Lobato, é um Pogo 2, que se tornou famoso ao vencer todas as edições da prova na sua classe desde que foi desenhado. Construído em França, com fibra de vidro/mousse de PVC, tem reservas de flutuabilidade o que o torna, teoricamente, insubmersível.

_________________
faroeste
Voltar ao Topo Ir em baixo
https://www.facebook.com/paulo.arroteia
papabeer
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 5606
Idade : 53
Localisation : Luanda - Angola
Data de inscrição : 06/06/2007

MensagemAssunto: Re: Diversos Assuntos Sobre VELA   Dom Out 25, 2009 3:02 am

O velejador solitário português Francisco Lobato venceu hoje a classe de série na regata transatlântica Transat 6.5, que ligou La Rochelle, França, a São Salvador da Bahia, Brasil, com passagem pelo Funchal.

Francisco Lobato concluiu em segundo lugar a segunda etapa da mítica travessia do Atlântico, que ligou Funchal a São Salvador da Bahia, com os mesmos 20 dias do que o primeiro a chegar à Baía de Todos-os-Santos, o francês Charlie Dalin, mas o português esgotou pouco mais de 11 horas.

No entanto, Lobato, que venceu a primeira tirada, entre La Rochelle e Funchal, registou menor tempo do que Dalin no total das duas etapas, terminando a prova com 26 dias, 19 horas, 39 minutos e 18 segundos, enquanto o francês concluiu a Transat 6.5 em 27 dias, 07 horas, 28 minutos e 10 segundos.

"O balanço geral é muito positivo, atingi o meu objetivo. Ganhei a Transat. Há dois anos foi tudo muito violento, estragou-se muito material. Este ano tudo estava muito bem programado e preparado. Desta vez não parti nada a bordo, consegui controlar tudo", disse Francisco Lobato.

O velejador afirmou que zarpou do Funchal "muito cansado" e frisou que nas Canárias teve de se desviar da rota que tinha traçado por causa dos "ventos de sudoeste a rondarem para Oeste".

"Eu sabia que tinha uma boa vantagem de horas, mas, mesmo assim, consegui recuperar um bom número de posições na costa africana. Foi difícil, mas recuperei. Nos Doldrums, não tive problemas, andei mais para Oeste, preferi 'pagar' mais caminho, mas não parar e não perder a regata. Nesta fase, acusei muito cansaço, estava moído e com uma enorme vontade de chegar", acrescentou.

Líder do ranking mundial da classe de série, Lobato, com um barco de 6,5 metros, participou pela segunda vez na Transat 6.5, uma competição em que os velejadores solitários atravessam o Atlântico (um total de 4.200 milhas naúticas) sem que lhes seja permitido contacto exterior. Na edição de 2007, o português, o primeiro a vencer a competição, foi sétimo.

Data: Sábado, 24 Outubro de 2009 - 15:30

_________________
faroeste
Voltar ao Topo Ir em baixo
https://www.facebook.com/paulo.arroteia
Karla mendes
OffRoad 2 estrelas
OffRoad 2 estrelas
avatar

Número de Mensagens : 387
Idade : 49
Localisation : Brasil
Data de inscrição : 23/05/2008

MensagemAssunto: Re: Diversos Assuntos Sobre VELA   Dom Out 25, 2009 4:02 am

Que aventura emocionante!
Bem que eu queria fazer uma travessia dessa, mas duvido que me deixariam fazer sozinha.
Voltar ao Topo Ir em baixo
papabeer
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 5606
Idade : 53
Localisation : Luanda - Angola
Data de inscrição : 06/06/2007

MensagemAssunto: Re: Diversos Assuntos Sobre VELA   Dom Out 25, 2009 9:28 am


Portimão, Faro, 24 out (Lusa) - O porto de cruzeiros de Portimão acolheu o maior veleiro do mundo, o Royal Clipper, antes de atravessar o Atlântico rumo ao Caribe, onde realizará cruzeiros turísticos até o final da primavera de 2010.

O Royal Clipper, que consta do Guiness Book (o livro de recordes mundiais), é um veleiro de cinco mastros com 134 metros de comprimento, tem capacidade para 227 passageiros e 106 tripulantes e é o mais rápido do mundo.

As 42 velas, com uma área de 5,24 metros quadrados, permitem-lhe uma velocidade de mais de 20 nós, sendo os mastros operados por sistemas hidráulicos, orientados a partir da “ponte de comando”. Por causa deste sistema, o Royal Clipper não precisa de uma tripulação numerosa para navegar.

Construído em 2000, o veleiro de cinco mil toneladas, propriedade da empresa luxemburguesa Star Clipper, foi inspirado pelo lendário veleiro alemão Preussen, construído em 1902. É o único veleiro de cinco mastros, o maior dos quais com cerca de 60 metros.

Para o comandante Sergey Utitsyn, o Royal Clipper é essencialmente “escolhido por pessoas amantes da vela para a realização de cruzeiros”.

"Há pessoas que repetem os cruzeiros, só para terem o prazer de viajar no navio”, disse à Lusa.

“É realmente um excelente barco que proporciona viagens inesquecíveis para quem gosta de navegar, sobretudo à vela”, afirmou.

O veleiro está equipado com plataforma inferior, que dá acesso direto ao mar e permite a realização de esportes náuticos, como esqui aquático, windsurf e mergulho.

Com um total de 114 cabines, o maior veleiro do mundo navega a maior parte do tempo com velas abertas, não tendo necessidade de utilizar os motores, a não ser para entrar e sair dos portos, e nas manobras de atracagem.

Depois de uma escala em Portimão, o Royal Clipper está já a caminho do Caribe, onde permanecerá até o final da primavera de 2010, para a realização de cruzeiros, regressando depois ao Mediterrâneo.

_________________
faroeste
Voltar ao Topo Ir em baixo
https://www.facebook.com/paulo.arroteia
papabeer
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 5606
Idade : 53
Localisation : Luanda - Angola
Data de inscrição : 06/06/2007

MensagemAssunto: Re: Diversos Assuntos Sobre VELA   Dom Out 25, 2009 9:37 am



_________________
faroeste
Voltar ao Topo Ir em baixo
https://www.facebook.com/paulo.arroteia
papabeer
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 5606
Idade : 53
Localisation : Luanda - Angola
Data de inscrição : 06/06/2007

MensagemAssunto: Re: Diversos Assuntos Sobre VELA   Qua Jul 28, 2010 6:50 am




Rapariga de 14 anos autorizada a velejar à volta do mundo sozinha

O Tribunal de Middelburg, na Holanda, autorizou, esta terça-feira, Laura Dekker, de 14 anos, a partir numa viagem solitária de veleiro à volta do mundo.

«Com esta decisão, a responsabilidade por Laura está nas mãos dos pais dela», disse o juiz Kuypers na leitura da sentença. «Eles é que têm de decidir se Laura pode ou não fazer a sua viagem de barco à vela».

Caso os pais de Laura autorizem a viagem, a jovem holandesa pode tornar-se na mais jovem velejadora a completar uma volta ao mundo solitária.

Noticiado no Jornal "A Bola"

http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=216157

_________________
faroeste
Voltar ao Topo Ir em baixo
https://www.facebook.com/paulo.arroteia
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Diversos Assuntos Sobre VELA   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Diversos Assuntos Sobre VELA
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Miscelâneas - Diversos assuntos
» Informações sobre anilhas
» Grande reportagem no "i" sobre desenho científico e Pedro Salgado
» Filme sobre Birdwatching
» 10 Mitos sobre Tartarugas

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Angola OffRoad :: NAUTICA E PESCA :: Desportos Nauticos-
Ir para: